Seguidores

terça-feira, 8 de março de 2011

DIA 8 DE MARÇO - DIA INTERNACIONAL DA MULHER



 UMA MULHER


Uma mulher traz mãos estendidas e pulsos frágeis,
Mas suporta os pesos imprevisíveis da vida.
Traz uma urgência de amparo,
Sustenta um olhar firme e claro
Na obscuridade das ruas onde, às vezes, transita.
Traz o rosto entre lua e estrelas
E uma esperança que se levanta com o sol das manhãs.
Nos lábios, o gosto das maçãs,
E no riso, a aragem fresca da brisa.
Uma mulher possui, oculta e insuspeitada,
Uma força paradoxal,
Que pode ser mortal
Ou reordenar a vida.
Uma mulher traz a semente polinizada e nascida
Na aridez de qualquer tempo.
Traz uma referência de amor,
Dedos esculpidos para acariciar a flor
E um véu que lhe preserva o instinto.
Uma mulher traz um silêncio e uma explosão,
Um delírio e uma prostração,
E uma certeza que a torna triunfante.
Uma mulher traz uma vibração constante,
Uma busca por sentir-se livre
E um poder de inventar caminhos.
Traz os derradeiros carinhos,
O peito despojado,
E possui-se de ternuras.
Uma mulher acumula-se de procuras,
De persistências e de encantamento.
Uma mulher traz o sábio gesto de um momento
E uma luz projectada para o infinito!


Lúcia Barcelos
Porto Alegre


Biografia

POR MAIS QUE PROCURASSE NÃO ENCONTREI NENHUMA BIOGRAFIA DA AUTORA . SE ALGUM DOS AMIGOS QUE ME COSTUMA VISITAR SOUBER  ALGUMA COISA SOBRE A AUTORA AGRADECIA QUE ME INFORMASSE.

3 comentários:

Adolfo Payés disse...

Ante la majestuosa pulcritud de tu presencia

Confieso que soy el cielo
El sol,
Las nubes amamantando el tiempo

Confieso que las estrellas
Las dibuje con mis sueños
Iluminando el firmamento de mis sentimientos

Que tus cabellos
Los acaricie palpitando mis deseos,
Y que tu cuerpo
Lo transite coloreando mis pasiones
Elocuentes del que ama

Confieso que no soy nada
Ni nadie en este mundo
Ante la majestuosa pulcritud de tu presencia
Mujer,
No soy el que confisca tus besos
Ni el que marchita tu alma
En añicos de penas,
Soy,
El que respeta tu nombre
Pintado
En el firmamento beso del te quiero

Confieso
Que soy
El que emancipa la palabra
Convirtiéndola en caricia mutilada de ternura,
Mujer
Eres
Luz
Embarazo creador de lo eterno
De lo infinito
Mezclado con el esperma
Quietud erótica de mi cuerpo
Ante la belleza emblemática de tu movimiento
Vida

Adolfo Payés.


Con todo mi respeto y admiración ara la Mujer en estas fechas y el mes de Marzo..


Un abrazo
Saludos fraternos...

Cata- Vento disse...

Não conheço a autora mas gostei muito do poema e tudo aquilo que possa ser dito ou feito pela Mulher nunca é demais porque ainda há um longo caminho a percorrer no sentido da igualdade.

Bem-hajas, Elvira!

Beijinhos


p.s. Se encontrar alguma referência à autora digo-te.

Sonia Schmorantz disse...

Há centenas de poemas sobre a mulher, mas este é muito especial. Não conheço sua autora, mas dê meus parabéns, o poema é lindo.
beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...